sexta-feira, 1 de outubro de 2010

Tagarela



Sabem, aquelas pessoas chatas que falam falam falam falam e quando achamos que estão no fim ainda conseguem arranjar mais conversa e nós não temos tempo para estar no parlapié e queremos nos pisgar, mas para não parecer mal não dizemos nada e ouvimos tudo até ao fim com um sorriso e fazemos os possíveis para prestar atenção, mesmo quando já estamos a pensar que aquilo nunca mais tem fim. Pois bem, hoje foi o dia de acontecer-me isso.



Eu sou uma pessoa pouco faladora, mas não é defeito, é feitio, sou assim. Como há aquelas pessoas que metralham palavras, sim, que aquilo não é falar, é metralhar, chega-se a um ponto em que o cérebro já não consegue raciocinar. Cada um é como é e eu sou assim.

Mas meus amigos, esta pessoa não se calava, falou-me de tudo e mais alguma coisa. Só não sei o tamanho da roupa interior porque não houve tempo para chegar lá, senão dizia-me.

Eu já rezava uns Pais Nosso a vêr se isso ajudava a fechar-lhe a boca. Impressionante!

Eu cheia de calor, em pé, com fome, quase a desfalecer com o estômago a queixar-se, já me sentia a abanar para um lado e para o outro como se estivesse num barco com o mar agitado, eu trocava a perna, eu cruzava os braços, metia as mãos nos bolsos, depois era só uma mão no bolso, brincava com a caneta, enfim, já não me aguentava em pé, com calor e fome. Eu já nem lhe respondia, só abanava a cabeça e sorria, de vez enquando ainda dizia qualquer coisa para não pensar que eu tinha-me deixado dormir de olhos abertos.

Para mim a ideia de inferno é isto, apanhar alguém que fala imenso e consome-nos o tempo, acho que se for para o inferno, vou ter sempre gente a metralhar-me palavras.

Oh pá! Gostar de conversar é uma coisa, mas aquilo é demais. Prefiro ser "muda" do que ser apelidada de chata por ser tagarela. Haja paciência.


P.s.: Há uma cigana que volta e meia vem-me chatear para lhe dar qualquer coisa. Até ela não teve paciência para ficar à espera que ele saisse para me vir pedir algo. Foi-se embora. É para verem ao cúmulo que isto chegou.
Foto: retirada da net.

5 comentários:

anjuh negruh disse...

Looool! Conheço essas pessoas...ainda ontem tive uma aula de apresentação um pouco assim, só nos queriamos ir embora e pediamos a todos pa não fazer perguntas senão o gajo não se calava...e não era nada de interessante!

Vânia disse...

Já desapareceste outra vez. Quando voltas a escrever?

beinhos***

Anónimo disse...

Será que podem dizer a esse belo anjuh negruh, que eu (Yuan) o amo mais do que tudo?

Mél disse...

E será que tu, Yuan, podes mostrar-lhe que a amas mais que tudo em vez de somente o dizeres? As acções falam mais alto do que as palavras. :)
*****

Anónimo disse...

Claro que sim...claro que posso...e quero! Porque sei que muito mais que palavras são os gestos que prevalecem! Mas ela esconde-se...evita-me... por mais que eu tente!...